L86A0220

Em audiência, prefeitura de Jaru apresenta projeto do aterro sanitário  

Desde 2006, o Ministério Público cobra do município, uma solução para o fim do lixão de Jaru.  Uma vez que, lei federal obriga os municípios a darem o destino adequado aos rejeitos de resíduos sólidos, que fechem seus lixões e se ajustem de vez a politica nacional de resíduos sólidos, com a criação de aterro sanitário.

Na última sexta-feira (1º), a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam), e a prefeitura de Jaru, realizaram uma audiência pública para discutir a construção do aterro sanitário do município.

Para o prefeito João Gonçalves Júnior, a audiência foi de grande interesse do município. “Há muitos anos, estão empurrando esse assunto com a barriga. Contudo, logo que assumimos essa gestão, já iniciamos os debates e as propostas. Precisamos solucionar o problema do lixão”, sintetizou.

No início da audiência, técnicos da Sedam falaram sobre o licenciamento ambiental, seu fundamento legal, a publicidade necessária, a participação popular e os prazos previstos na legislação.

Na sequência, a equipe técnica responsável pelo projeto, formada por engenheiros florestais e ambientais, além de biólogos e outros profissionais, fez a exposição sobre o aterro sanitário, o estudo ambiental e o relatório de impacto ambiental.  Segundo a conclusão do relatório, a construção do aterro é viável e necessário.

Na oportunidade, centenas de pessoas estiveram na audiência, entre populares, empresários, servidores públicos e representantes da Organização Não Governamental (Ong) Evitando a Poluição do Ambiente (Epa).

O promotor de justiça, Fábio Rodrigo Casaril, lembrou que esse é um momento de muita importância. “O município precisa dar uma destinação correta ao lixo produzido”, disse Fábio.

“É uma nova era, um novo momento. Parabéns prefeito pela vontade em fazer esse aterro. O município que não tem qualidade ambiental, não tem qualidade de vida”, argumentou o secretário adjunto da Sedam, Francisco de Sales Oliveira dos Santos.

Também participaram do evento, os vereadores: Josemar da 34, Chico Baquer, Carlinhos da Denísia, Ilson Felix, Ademir Motorista e Gaúcho da TV Lunar, e ainda, o presidente da Associação Comercial e Industrial de Jaru (ACIJ), Ednilso de Oliveira.

Os participantes discutiram, fizeram questionamentos e deixaram suas  opiniões sobre o aterro e o local onde será construído. De acordo com a equipe técnica, todas as observações apresentadas serão consideradas.

Agora, a Sedam terá mais alguns dias de prazo legal, para a análise, e consequentemente, autorizar o licenciamento ambiental, para a localização, instalação, e operação do aterro.

L86A0160 L86A0157